Saltar navegação

Teoria da dualidade onda-partícula

Teoria da dualidade onda-partícula

 
No final do século XIX, a teoria que afirmava que a natureza da luz era puramente uma onda eletromagnética, (ou seja, a luz tinha um comportamento apenas ondulatório), começou a ser questionada.

Ao tentar teorizar a emissão fotoelétrica, ou a emissão de elétrons quando um condutor tem sobre si a incidência de luz, a teoria ondulatória simplesmente não conseguia explicar o fenômeno, pois entrava em franca contradição.

Foi Albert Einstein, usando a ideia de Max Planck, que conseguiu demonstrar que um feixe de luz são pequenos pacotes de energia e estes são os fótons, assim foi explicado o fenômeno da emissão fotoelétrica.

A confirmação da descoberta de Einstein no ano de 1911, quando Arthur Compton demonstrou que quando um fóton colide com um elétron, ambos se comportam como corpos materiais.

Assim, podemos afirmar que quando a luz se propaga no espaço, que se comporta como onda, mas quando incide sobre uma superfície, passa a comportar-se como partícula.